sábado, 10 de março de 2012

Valkyrie: Alma Brilhante parte 6


Olha, quando você chega em um lugar cujo chão é feito de nuvens, e recebe a notícia de que é uma fada, acho que todos fariam a mesma coisa que eu fiz. Desmaiei.
Acordei com outra roupa (uma simples túnica vermelha) e num lugar completamente diferente, como um quarto de hospital, mas mais mágico.  Quando eu bebia água, ela se enchia sozinha, as cores da parede (pelo que percebi) se adaptavam ao meu estado de espírito. Se eu estava confusa, a parede ficava multicolorida, cansada, azul bebê, branco e verde, e agitada, amarela, laranja e vermelha.
Mas o mais mágico era a enfermeira. Ela aparentava cerca de quarenta anos. Ela era linda, e provavelmente era uma fada, por ter asas e por criar uma aura mágica quando me tocava, mas eu não tinha certeza.
Um dia, tomei coragem e perguntei:
- Quando eu vou sair daqui?
- Na verdade, daqui a pouco. Kira e seus companheiros de equipe vão vir te buscar.
- Quem é você?
- Eu sou Gimani, a fada da medicina, conselheira e enfermeira das fadas e elfos do círculo.
- Quem são as fadas do círculo?
- É o grupo de fadas e elfos mais poderosos do reino de Skypea. Cada um protege uma das treze cidades do reino, e tem um tipo de poder elemental. Eu suponho que o seu seja o Fogo. Tente invocá-lo.
Tentei uma chama grande. Nada. Tentei uma faísca. Essa eu consegui. Tentei acender uma chama de vela. Não consegui.
- Mas como eu sou poderosa, se não sei ativar bem meus poderes?
- O poder não é adquirível, minha filha. Você já o tem. Só precisa aprender a controlá-lo. Olha, eles chegaram.
Kira estava com aquela roupa rosa purpurinada e suas asas, mas Jannie estava com uma túnica como a minha, só que a dela era marrom.
- Oi dorminhoca! – Disse Jannie, com menos aversão a altura.
- Quanto tempo eu dormi?
- Três dias – Disse Kira – Isso normalmente acontece com fadas do fogo. O quê ela conseguiu?
- Uma faísca.
- Para a primeira vez, é maravilhoso.
Depois que ela disse isso, um garoto entrou no meu quarto. Ele até que era bonitinho, mas não fazia o meu tipo. Ele era de médio para alto, era magrelo, tinha cabelos pretos e olhos maravilhosamente brancos. Foi a única coisa que eu gostei nele. Ele estava com uma camiseta de manga longa branca e uma bermuda leve da mesma cor. A combinação caiu bem nele, e as asas brancas deram o toque final.
- Falando de mim Kira?
- Para de se achar Shu. Afinal, você tem namorada.
- Deixa quieto. Eu gosto de me achar. Olá Valkyrie. Eu sou Shu, o elfo do Ar.
- Eu sou a fada da Terra Valkie, não faz sentido?
- Completamente.
- Olha só.
Ela pegou duas pedrinhas do bolso e começou a girar elas sem usar as mãos, só controlando elas. Morri de inveja, mas não deixei transparecer.
- Que legal!
- Hoje você começa seu treinamento – Disse Shu – Daqui a algumas horas você também conseguirá controlar o fogo, e daqui a uma semana, mais ou menos, conseguirá suas asas.
Confesso que me interessei mais pela última parte. Desde quando Kira nos disse que éramos fadas, eu quis ter um par de asas.
- Tome seu bilhete. – Disse Kira – Leia.
Peguei aquele treco dourado e li. Ele dizia o que eu já sabia, em forma de poema, e acho que aquele era especial para mim. Dizia “Eres brilhante como o amuleto que sustentas/ Nunca sofrerá nenhuma desavença / Não cairá aos pés de nada/ Pois, Valkyrie, você é uma fada.
- Agora vamos – disse Shu – Temos muito treinamento pela frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário